Blog

É possível o aproveitamento dos créditos de IPI sobre produtos com imunidade tributária?

Em busca do melhor entendimento sobre o aproveitamento dos créditos de IPI, é necessário analisar dois pontos principais.

O primeiro é referente ao creditamento de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) quando os insumos são aplicados na industrialização de produtos isentos ou tributados à alíquota zero; e o segundo é o creditamento de IPI quando os insumos são aplicados na industrialização de produtos não tributados.

Quando os insumos são aplicados na fabricação de produtos isentos ou tributados à alíquota zero, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já possui entendimento pacífico no sentido de permitir tal creditamento, pois nesses casos, a Lei 9.779/99 em seu artigo 11, garante o direito ao aproveitamento dos créditos de IPI. 

A divergência encontra-se justamente quando esse creditamento recai sobre os insumos aplicados na industrialização de produtos não tributados. Isto porque a lei não trata expressamente de tal possibilidade, tal como fez com os produtos isentos ou tributados à alíquota zero. 

É possível aproveitar os créditos de IPI quando os insumos são aplicados na industrialização de produtos não tributados

O STJ, com placar de 4 votos a 3 na 1ª Seção, fez surgir um importante precedente favorável para os contribuintes na decisão do EREsp 1.213.143/RS. O entendimento, seguido pela maioria, foi o da ministra Regina Helena Costa que interpretou o art. 11 da Lei 9.779/99 como exemplificativo e não taxativo, pela expressão “inclusive” constante do artigo da Lei. Nas palavras da ministra: “O próprio artigo 11 da lei, a título de reforço, consigna a expressão ‘inclusive de produto isento ou tributado à alíquota zero’, o que indica a existência de outras possibilidades”. Assegurando assim, a possibilidade de concessão do benefício fiscal também no caso de produtos não tributados. 

Em oposição a este entendimento, a ministra relatora Assusete Magalhães defendeu uma interpretação restritiva do mesmo artigo para que o benefício alcançasse somente os produtos isentos ou tributados à alíquota zero. Para a ministra: “a interpretação do art. 11 da Lei 9.779/99 deve-se dar com a observância do princípio tributário da legalidade estrita nos termos do art. 111 do CTN, de modo que não se pode alargar a isenção contida no art. 11 da Lei 9.779/99 às hipóteses de industrialização de produtos não tributados”. 

Apesar das divergências expostas, nesta votação apertada, ficou garantido por meio de uma interpretação extensiva do artigo 11 da Lei 9.779/99 que sim, é possível o aproveitamento de crédito de IPI na aquisição de insumos e matérias-primas tributadas quando são aplicadas na industrialização de produto final isento, não tributado ou com a alíquota zero.

Por Bruno Borges, advogado da Locatelli.

Leia mais: Juros sobre Capital Próprio: O direito de deduzir, da base de cálculo do IRPJ e da CSLL, os Juros sobre Capital Próprio pagos aos sócios e acionistas referentes a exercícios pretéritos.

Comentários (1)

  • Avatar

    antonio machado

    |

    Parabens por esta publicação do credito do ipi sobre produtos tributados pela aliquota zero na saida por venda.

    Reply

Deixe um comentário

NOSSOS CLIENTES

Mais de 150 clientes confiaram em nós

Nike
Votorantin
Burger King
Pepsico
BRF